Apresentação
    O IX Encontro Nacional da Associação Nacional de Direitos Humanos - Pesquisa e Pós-Graduação (ANDHEP), a ser realizado entre os dias 23 e 25 de maio de 2016 na Universidade Federal do Espírito Santo, tem por temas Direitos Humanos, Sustentabilidade, Comunidades Tradicionais e Circulação Global. O Encontro durará três dias e reunirá os maiores especialistas da atualidade na área dos direitos humanos e nas temáticas do evento. A proposta é promover um novo espaço de encontro de uma comunidade acadêmica em franca multiplicação no país e no continente, que apresentará suas pesquisas nos Grupos de Trabalho (GTs). O Encontro tem como público alvo a comunidade científica, ativistas, estudantes e gestores da área dos direitos humanos, das áreas temáticas desta edição e de outras tradicionalmente discutidas nos encontros da associação. A ANDHEP se consolidou na primeira década dos anos 2000 como a maior entidade acadêmica de Direitos Humanos do país e também como referência Latino-Americana. Seus encontros nacionais promovem um espaço de qualidade na produção, articulação e disseminação de conhecimento sobre direitos humanos, reconhecido pelas comunidades de estudantes, pesquisadores, especialistas, gestores e ativistas.

    O meio-ambiente, o clima, a sustentabilidade e as relações entre seres humanos e natureza são questões intrinsecamente ligadas aos direitos humanos. Os padrões de apropriação da natureza, desenvolvimento e distribuição de riquezas que imperam no mundo desde a Revolução Industrial tem provocado intensas intervenções no planeta, na vida dos indivíduos e suas famílias, e nas condições econômicas e sociais de diversos países, promovendo ciclos de pobreza e destruição de formas de vida de comunidades tradicionais, bem como ondas migratórias internas e internacionais. A consciência global sobre a extinguibilidade dos recursos naturais, os movimentos da natureza e os efeitos da intervenção humana no planeta e em comunidades e países específicos, levam à nec essidade de se repensar paradigmas filosóficos e jurídicos, e de promover novos pactos políticos e políticas públicas capazes de realizar um fino equilíbrio entre direitos humanos, sustentabilidade, comunidades tradicionais e circulação global. As movimentações internacionais pelo clima que tiveram origem no Brasil com a Eco 92 e hoje seguem em Conferências Mundiais sobre o Clima (COPs), as relações tensas e muitas vezes catastróficas entre políticas de desenvolvimento e economias e identidades locais, e as mais recentes ondas migratórias na Europa e América Latina sinalizam a urgência da articulação de pesquisadores, gestores, ativistas e estudantes das diversas áreas envolvidas, com reunião do vasto material acadêmico especializado no tratamento dos conflitos que surgem do entrelaçamento desses problemas c om os direitos humanos. Os resultados deste Encontro Nacional, como palestras e debates em gravadas em vídeo e publicadas junto às contribuições dos GTs, constituirão material fundamental para se fazer avançar novos diagnósticos e pactos políticos sobre os temas dos direitos individuais e ambientais, comunidades tradicionais e políticas de desenvolvimento, pós-colonialismo e circulação global, no Brasil e no mundo.